Perdendo para ganhar

O que me levou a aceitar o desafio pra emagrecer? Bem, eu sempre quis emagrecer e já fiz várias dietas, mas sofria com efeito sanfona. 

Não me acho feia gordinha, aliás me acho muito charmosa. A única coisa que não gosto é da barriga e dos “brações”, se não fosse por isso… mas alguns comentários fizeram com que me chateasse por demais e ao passar dos meses decidi emagrecer.



Em Janeiro fui passar alguns dias na casa dos meus pais. Confesso que é muito difícil ir lá por causa do meu pai. Eu o amo, mas certas coisas que ele fala fere minha alma. Ele sempre começa com “Eu sei que você e seus irmãos não gostam que eu fico falando, mas falo porque amo e quero o bem de vocês”, mas para mim muitas coisas são ditas com a intenção de ferir.

Depois de ficar dias rodeando, ao descobrir meu peso veio o decreto: quanto mais ele falava, eu só escutava “blá, blá, blá”, pois conhecia o sermão de cabo a rabo. Só que dessa vez ele arrematou diferente o sermão. Se eu continuasse gorda ninguém me contrataria pra trabalhar (como se ser gordo é ser incompetente), meus colegas de faculdade e estágio me “perseguiriam” (sendo que o bulliyng nunca sofri na rua e sim dentro de casa) e meu marido iria me trocar por uma mulher magra (como se uma mulher gorda não fizesse sexo – e isso eu faço e muito). Lembrei também de uma outra vez que ele jogou na minha cara que se meu marido me amasse ele pegava no meu pé pra emagrecer e outras coisas. Depois de escutar tudo isso, fiquei muito irada, passei dias e dias remoendo tudo isso. Não tiro o direito dele falar sobre meu excesso de peso, eu sabia que estava gorda e tinha espelhos e fotos pra constatar, mas ele não podia ter sido tão cruel como foi. Palavras doem muito mais que tapas.

E depois de meses remoendo, tomei a decisão. E escolhi a pior época pra qualquer gordinho: a páscoa. É, eu sei que não será fácil, que vai ter horas que vou querer jogar tudo pra cima e desistir, mas peço a Deus que me ilumine e que eu consiga atingir meus objetivos.

E agradeço a Deus pelas poucas amigas reais e virtuais que tem me dado incentivo e força. Até a próxima, bjsss