Meu filho está sofrendo abuso sexual? – Vida de Mulher

Um assunto bem pertinente depois do depoimento da Xuxa ao Fantástico e às mais de 200.000 denúncias feita ao Disque 100. Já estudei o assunto na faculdade e convivi com algumas crianças que sofreram essa violência que resultaram em traumas que elas carregaram por muito tempo em suas vidas.

Você que é mãe observe sempre seu filho. E converse sempre com ele, criando além do vínculo mãe-filho, um vínculo de amizade pois a criança tem de ter a segurança que pode confiar na sua progenitora. Antigamente os filhos tinham medo dos pais e não havia vínculo de amizade (falo isso embasada nas histórias que ouvi dos meus pais) e hoje se fala tanto em diálogo nos relacionamentos que devemos usar isso a nosso favor!


Como saber se meu filho sofre abuso?


Existe indicativos que podem ser observados, não só em nossos filhos mas em qualquer criança.

– Dificuldade para caminhar ou sentar-se.
– Lesões, cortes, machucados nos órgãos sexuais.
– Irritação da área ano-genital.
– Infecções nas zonas genitais e urinárias.
– Doenças venéreas.
– Presença de esperma.
– Gravidez.
– Dificuldades para defecar.
– Hemorragias pela vagina ou pelo reto.
– Roupa interior manchada ou rasgada.
– Hematomas no corpo, especialmente  nos genitais.
– Masturbação excessiva.
– Conhecimenos e condutas sexuais impróprios para sua idade.
– Interesse excessivo, ou rejeição total de natureza sexual.
– Comportamento sedutor.
– Depressão ou isolamento dos amiguinhos e família.
– Desordem no apetite (perda, anorexia, bulimia).
– Regressões, incapacidade para controlar esfíncteres.
– Problemas com o sono (insônia, medo e pesadelos).
– Choro contínuo.
– Excessiva agressividade.
– Temor ou rejeição a alguma pessoa.
– Baixo rendimento escolar.
– Desconfiança de si mesma.
– Negar-se a ir à escola, delinquência.
– Evidência de abusos ou incômodos nos seus desenhos, jogos ou fantasias.
– Comportamento suicida.
– Outras mudanças bruscas no seu comportamento.


A criança que sofre abuso sexual desenvolve perda da autoestima, deixa de confiar nos adultos tem e passa a sensação de que não vale nada. Se seu filho é muito falante e de uma hora para outra fica quieto, observe. Principalmente se muda na frente de determinada pessoa.
Os profissionais como psicólogos e pedagogos usam alguns métodos  para confirmar o abuso, como dar papel e lápis para elas desenharem ou bonecos para a criança contar uma história. A partir daí o especialista analisa a dimensão do abuso, caso a se confirme.


O que fazer quando é confirmado o abuso?

Se a criança contar que sofreu abuso sexual, escute-a atentamente e leve a sério. Dificilmente a criança inventa uma história desse tipo. Se você se chocar, não demonstre à criança pois isso a fará ficar retraída.

Não pressione fazendo várias perguntas ao mesmo tempo, deixe que ela fale de acordo com seu jeito. Se atropelar esse momento, ela ficará retraída novamente.

Enquanto a criança fala, anime-a e demonstre que ela pode confiar em você. Dê liberdade para ela contar tudo e de maneira alguma julgue ou a faça se sentir culpada. Ela já sente que a culpa do que aconteceu foi dela e sabemos de quem é a culpa realmente.

Prepare a criança dizendo que ela conversará sobre esse assunto com outras pessoas (lê-se especialistas como médico, psicólogo) e isso será para ajuda-la, será muito bom para ela. Confirme também que você estará ao lado dela em tudo.

Faça a denúncia às autoridades. A criança será encaminhada para fazer o exame de corpo delito para confirmar o abuso. Procure também um especialista para ajudar nesse momento. No caso de dúvidas, procure o Conselho Tutelar da sua cidade.

E se você desconfia que alguma criança ou adolescente está sofrendo abuso, denuncie! 

Disque 100

Perguntas ou sugestões para a coluna Vida de  Mulher preencha esse formulário.

Anúncios