Bebê novo em casa, e agora? – Vida de Mulher

Pedro, João e Claudio em 2008.

Quando tirei essa foto já era marinheira de 3ª viagem, portanto, já não havia nenhum segredo pra mim. Mas muitas mamães não sabem o que lhe aguardam nos primeiros dias em casa e então, aproveitando que a Nane Balda aguarda o nascimento da Lara, essa postagem vai em homenagem a ela e a todas as mamães do seu 1º bebê.

Quando Pedrinho nasceu, de cesariana, passei 4 dias no hospital por causa da pré-eclampsia que tive. Ele ficou poucas vezes comigo no quarto. Quando recebi alta, os primeiros 20 dias dele passei na casa da minha mãe que me deu a maior assistência. Cuidar do coto umbilical e outras coisas só sabia na teoria, algumas coisas na prática por causa do meu irmão caçula. A realidade é que se você passa por uma gestação tranquila é mais fácil passar por esses dias de adaptação com o bebê do que quando tem alguma complicação.

A gente não sabe quando é a hora de trocar a fralda, se pode ou não usar lenço umedecido, talco… toda vez que se conversa com outras mamães cada uma dá um pitaco e muitas vezes acabamos perdidas sem saber o que fazer. É normal, garanto.

O que você precisa saber: tenha calma e muita, mas muita paciência. O bebê trocará (ou não) o dia pela noite e se você optou pela amamentação (sim!!!!), vai ter que levantar pela noite para alimentá-lo. Nos primeiros dias, ao trocar a fralda do bebê limpe sempre o coto umbilical dessa forma: mergulhe um cotonete no alcool a 70% e passe na emenda entre o coto e a pele do bebê; saiu sujo? Passe novamente até sair limpo. Cubra o coto com uma gaze seca, se preferir, para evitar o atrito da fralda com ele. Depois do banho, seque bem ele; deve estar bem seco, isso facilita a caída dele que deverá ser entre o 7º e o 10º dia após o parto. Até completar a cicatrização você pode continuar limpando o umbiguinho com o cotonete e o alcool.

A amamentação também exige paciência porque nos primeiros dias dói. Doerá porque será sempre estimulado pela sucção do bebê e pela fabricação do leite pelas glândulas mamárias (vai ter hora que o seio estará tão cheio que vazará). Enquanto amamenta, alterne os seios e depois que o bebê não quiser mais mamar ou tenha pegado no sono, coloque ele elevado (em pé) no seu colo e aguarde o arrotinho, para depois colocá-lo para dormir.

Já vi algumas campanhas em que mostra que a posição correta para o bebê dormir no berço é a de barriga para cima. Particularmente, sempre deixei meus filhos de lado no berço com a cabeça mais elevada que o corpo. Mas isso vai de cada um.

A mamãe que optou por amamentar (parabéns!!!) não pode esquecer de beber muita água e tomar cuidado com determinados alimentos que podem dar cólicas no bebê. O leite vai sendo produzido conforme o bebê vai se alimentando; se mama mais, produz mais leite. Se você acha que tem produzido pouco leite, converse com seu médico para que te indique produtos (remédios ou alimentos) para aumentá-lo; tem gente que vai pela sabedoria popular, como comer canjica ou tomar cerveja preta (fiz os dois e o meu leite superabundou quando tomei a cerveja kkkkkkk).

Já a mamãe que optou pela mamadeira, peça ao pediatra indicar o melhor leite para seu filho e alterne as mamadas oferecendo água também. E lembre-se de esterelizar bem as mamadeiras para não causar infecções no bebê.

Por hoje é só. Nos próximos posts vamos falar sobre cólicas do bebê, sobre o leite “empedrado” e o que mais vocês comentarem aqui como sugestão. Até mais!